quarta-feira, 29 de junho de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 23/06/11 A 29/06/11 - SEMANA Nº 17

1. Ações previstas para semana
Finalização do material de apresentação e realização da mesma para o professor-orientador e colegas, no dia 29/06/11.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, a apresentação foi feita com sucesso.
3. Pendências principais
Elaborar o PowerPoint da apresentação.
4. Dificuldades principais
Elaborar uma apresentação clara que facilite a explicação e o entendimento do projeto.
5. Materiais práticos a providenciar
Não há materiais práticos a providenciar para a semana em questão.
6. Materiais teóricos a providenciar
Não há materiais práticos a providenciar para a semana em questão.
7. Contatos a realizar
O contato com o professor-orientador é suficiente.
8. Ideias a explorar
Garantir a clareza da apresentação.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Não há encaminhamentos para a semana seguinte, tendo em vista que o projeto foi finalizado e apresentado.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Não há encaminhamentos para as semanas posteriores.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas às etapas de “finalização dos projetos” e “apresentação pública” previstas no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho, em geral, apresentou um bom ritmo de desenvolvimento, sendo finalizado e apresentado com sucesso dentro do prazo previsto.
13. Observações e comentários gerais

quarta-feira, 22 de junho de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 16/06/11 A 22/06/11 - SEMANA Nº 16

1. Ações previstas para semana
Finalização do relatório técnico do projeto e início da preparação da apresentação.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, o relatório foi finalizado e a apresentação foi discutida.
3. Pendências principais
Finalizar a apresentação do projeto.
4. Dificuldades principais
Elaborar uma apresentação clara que facilite a explicação e o entendimento do projeto.
5. Materiais práticos a providenciar
Não há materiais práticos a providenciar para a semana em questão.
6. Materiais teóricos a providenciar
Não há materiais práticos a providenciar para a semana em questão.
7. Contatos a realizar
O contato com o professor-orientador é suficiente.
8. Ideias a explorar
Garantir a clareza da apresentação.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Apresentar o projeto desenvolvido à turma e ao professor.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Não há encaminhamentos para as semanas posteriores.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “finalização dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento, com a parte física finalizada e teórica em etapa de conclusão.
13. Observações e comentários gerais

quarta-feira, 15 de junho de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 09/06/11 A 15/06/11 - SEMANA Nº 15

1. Ações previstas para semana
Redação do relatório técnico do projeto.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, o relatório foi iniciado, mas não foi concluído.
3. Pendências principais
Finalizar o relatório final.
4. Dificuldades principais
Organizar as informações sucinta e claramente a fim de se enquadrar nos moldes do relatório técnico.
5. Materiais práticos a providenciar
Não há materiais práticos a providenciar para a semana em questão.
6. Materiais teóricos a providenciar
Referências que auxiliem o entendimento do projeto e corroborem a sua aplicabilidade na construção civil.
7. Contatos a realizar
O contato com o professor-orientador é suficiente.
8. Ideias a explorar
Garantir a clareza do relatório técnico através da elaboração de esquemas funcionais.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Concluir e revisar o relatório técnico do projeto.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Uma vez finalizado o relatório, deverá ser organizada a apresentação do trabalho.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “finalização dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento, com a parte física finalizada e teórica em andamento.
13. Observações e comentários gerais

DO DRIVE À JANELA

O projeto de acabamento foi colocado em prática e, como desejado, conferiu ao drive de CD a esperada aparência de janela, tornando o trabalho mais didático e esteticamente apreciável. Dessa forma, podemos considerar a parte física do projeto concluída. O foco do grupo passa a ser a redação do relatório técnico e a preparação da apresentação final, o que encerrará o semestre de trabalho. 

video

Vídeo 1: Funcionamento da janela anti-chuva.
Fonte: acervo do grupo.











Figura 1: Janela aberta.
Fonte: acervo do grupo.











Figura 2: Janela fechada.
Fonte: acervo do grupo.










Figura 3: Vista posterior com mecanismo de funcionamento da janela aparente.
Fonte: acervo do grupo.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 02/06/11 A 08/06/11 - SEMANA Nº 14

1. Ações previstas para semana
Desenvolver o acabamento proposto para a janela a fim de torná-la mais parecida com a realidade.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, a janela recebeu o acabamento planejado.
3. Pendências principais
Finalizar o design do modelo da janela e preparar a apresentação do projeto.
4. Dificuldades principais
Encontrar um material que ofereça uma boa aparência para a janela.
5. Materiais práticos a providenciar
Será necessário providenciar os seguintes materiais: Depron, tinta, cola e fita adesiva.
6. Materiais teóricos a providenciar
Não há materiais teóricos a providenciar para a semana em questão.
7. Contatos a realizar
O grupo buscará ajuda com Ana Maria L. V. Alves, mãe de um integrante do grupo, que possui facilidade com trabalhos manuais.   
8. Ideias a explorar
Garantir que o acabamento da janela contribua para a didática da apresentação do projeto.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Uma vez concluído o acabamento da janela, investir na preparação da apresentação do projeto.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Uma vez finalizada a parte física e teórica do trabalho, deveremos começar a organizar a dinâmica do dia da apresentação.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “desenvolvimentos dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento, com a parte física finalizada.
13. Observações e comentários gerais

O ACABAMENTO DA JANELA

A princípio o projeto seria feito em uma janela de madeira, porém, com a incorporação do drive de CD, observou-se a necessidade de utilizarmos materiais mais leves como acabamento, até mesmo para garantir melhor harmonia estética entre a esquadria e o drive.
Após finalizar a parte elétrica da janela e pesquisar sobre materiais e formas de acabamento, decidimos utilizar o Depron (poliestireno extrudado, também conhecido como Placa Pluma) como base estrutural, segundo o desenho abaixo.



quarta-feira, 1 de junho de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 26/05/11 A 01/06/11 - SEMANA Nº 13

1. Ações previstas para semana
Pesquisar modelos de janelas existentes que possam ser adaptadas ao projeto, bem como materiais que possam ser utilizados para aperfeiçoar a sua aparência e torná-la mais real.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, foram realizadas pesquisas a respeito da estética da janela, mas elas não foram suficientes para que o grupo tomasse uma decisão a respeito de seu aprimoramento.  
3. Pendências principais
Decidir quais materiais serão utilizados para tornar a janela mais real, bem como a forma que eles devem assumir.
4. Dificuldades principais
Selecionar materiais viáveis, adaptáveis ao drive de CD, com boa aparência e acabamento. Além disso, eles devem auxiliar na explicação didática do projeto.
5. Materiais práticos a providenciar
Como não foi decidido como a aparência da janela será melhorada, nessa semana não há materiais práticos a providenciar.
6. Materiais teóricos a providenciar
Coletar exemplos de janelas reais que possam ser reproduzidas em nosso modelo e/ou exemplos de projetos semelhantes que já foram desenvolvidos e possam servir de inspiração.
7. Contatos a realizar
Nesse momento, o contato com o professor-orientador é suficiente.
8. Ideias a explorar
Devemos explorar idéias que tornem a aparência da janela mais agradável e que auxiliem o entendimento do projeto.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Prosseguir com as pesquisas a respeito da aparência da janela e definição do projeto de acabamento final.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Uma vez definido o projeto de acabamento da janela, dar início à sua construção a fim de finalizar a parte física da janela. Em seguida, devemos focar na preparação da apresentação do projeto.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “desenvolvimentos dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento.
13. Observações e comentários gerais

SENSOR DE CHUVA CONCLUÍDO

O circuito planejado para funcionar como sensor de chuva foi construído e o seu funcionamento está em pleno acordo com o esperado para a janela, que poderá ser acionada manualmente ou através da água da chuva. Um exemplo do funcionamento do mecanismo pode ser vista no vídeo abaixo.
video 


Figura 1: Circuito com indicação de seus componentes.
Fonte: acervo do grupo.








Figura 2: Detalhe do transistor e resistências, chave de fim de curso e placa de cobre, da esquerda para direita.
Fonte: acervo do grupo.









Figura 3: Drive de CD com o circuito integrado.
Fonte: acervo do grupo.
















Figura 4: Drive de CD com o circuito integrado.
Fonte: acervo do grupo.
 
Uma vez finalizada a parte elétrica do projeto, o grupo passará a investir em seu acabamento a fim de melhorar a sua aparência e aproximar a forma do drive de CD à de uma janela real.

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 19/05/11 A 25/05/11 - SEMANA Nº 12

1. Ações previstas para semana
Desenvolver e testar o circuito imaginado para o sensor de chuva a fim de verificar a sua adequação ao projeto.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, foi construído o circuito planejado, o qual funcionou com sucesso.
3. Pendências principais
Verificar se o circuito pensado funcionará da maneira esperada e criar alternativas para tornar a aparência do drive mais parecida com uma janela.
4. Dificuldades principais
Interpretar o circuito e montá-lo de forma apropriada, garantindo que a janela atenda a seus propósitos. 
5. Materiais práticos a providenciar
Será necessário providenciar os componentes necessários para o circuito: bateria, placa de cobre, resistores, transistor, chave de fim de curso, chave interruptora e fios.
6. Materiais teóricos a providenciar
Não há materiais teóricos a providenciar para a semana em questão.
7. Contatos a realizar
O grupo buscará ajuda com o estudante de Engenharia Mecânica, Antônio Rodrigues dos Santos, para a montagem do circuito.
8. Ideias a explorar
Devemos explorar a maneira como o sensor será integrado à janela de forma harmônica e prática. Além disso, devemos pensar didaticamente na montagem do circuito a fim de facilitar a apresentação e o entendimento do trabalho.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
Uma vez construído e testado o circuito que funcionará como sensor de chuva, a próxima semana deverá ser dedicada à criação de alternativas que possam ser utilizadas para aperfeiçoar a estética da janela.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Uma vez finalizada a parte mecânica e estética da janela, deveremos começar a preparar a apresentação do projeto.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “desenvolvimento dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento.
13. Observações e comentários gerais

UMA NOVA IDEIA PARA O SENSOR

Ainda que o grupo tenha realizado pesquisas a respeito do mecanismo com o uso de diafragma, foi criado um novo circuito mais simples que poderá funcionar melhor como sensor de chuva para a janela.
Esse circuito é composto pelos seguintes componentes:



 







O sensor de chuva possui como base de funcionamento uma pequena placa de cobre, adjacente à janela, que fica exposta à água da chuva. Essa placa está conectada a um circuito contendo o motor, uma chave de fim de curso, um transistor, resistências (R1, R2 e R3) e uma bateria, dispostos segundo o diagrama da figura 1. 














 
Figura 1: Esquema do circuito do sensor de chuva.
Fonte: elaborado pelo grupo. 
O funcionamento do circuito pode ser dividido em quatro etapas, dependendo da posição da chave de fim de curso e da ocorrência ou não de chuva.
Na primeira etapa (figura 2), a janela está aberta e a chave de fim de curso está em contato com o fio ligado diretamente ao polo positivo da bateria. Em consequência disso, o terminal 2 do motor está ligado a este mesmo polo. O terminal 1, por sua vez,  também está ligado ao polo positivo através do fio que possui a resistência R1. Dessa forma, não há diferença de potencial entre os terminais do motor, este não entra em movimento e a janela permanece aberta. 
Figura 2: Primeira etapa do funcionamento do circuito. As partes em azul indicam o mecanismo de acionamento do motor.
Fonte: elaborado pelo grupo.

Na ocorrência de chuva (figura 3), a placa de cobre (que está exposta à água) se torna um condutor e permite passagem de corrente, a qual aciona o transistor (1). Uma vez acionado, o transistor proporciona a ligação do terminal 1 do motor ao polo negativo da bateria, o que cria uma diferença de potencial entre os terminais. Logo, há passagem de corrente, o motor entra em movimento e fecha a janela.
 














Figura 3: Segunda etapa do funcionamento do circuito. As partes em azul indicam o mecanismo de acionamento do motor e as partes em vermelho indicam o acionamento do transistor.
Fonte: elaborado pelo grupo.
Quando a janela está totalmente fechada (figura 4), a chave de fim de curso é movida e entra em contato com o fio ligado ao polo negativo da bateria. Dessa forma, entre os terminais 1 e 2 do motor não há diferença de potencial. Logo, o motor interrompe o seu movimento e a janela permanece fechada.







 








Figura 4: Terceira etapa do funcionamento do circuito. As partes em azul indicam o mecanismo de acionamento do motor e as partes em vermelho indicam o acionamento do transistor.
Fonte: elaborado pelo grupo.
Quando a água na placa de cobre seca (figura 5). , o transistor é desativado, já que não há mais passagem de corrente. Dessa maneira, o terminal 1 do motor está ligado ao polo positivo da bateria e a sua rotação se dá no sentido contrário, proporcionando a abertura da janela.


Figura 5: Quarta etapa do funcionamento do circuito. As partes em azul indicam o mecanismo de acionamento do motor e as partes em vermelho indicam o acionamento do transistor.
Fonte: elaborado pelo grupo.
Quando a janela está completamente aberta, a chave de fim de curso é movida e entra em contato com o fio ligado ao polo positivo da bateria. Assim, entre os terminais 1 e 2 do motor não há diferença de potencial. Logo, o motor deixa de girar, retornando à primeira etapa do processo.
Para o acionamento manual da janela, será ligado, em paralelo com a placa de cobre, uma chave interruptora, que aciona o circuito da mesma forma que a placa.
No projeto, será adotada uma bateria para alimentar o circuito visando à sua praticidade. Em uma janela real, poderia ser adotada uma fonte que forneça energia elétrica diretamente da rede.    
Para o adequado funcionamento desse circuito será necessária a utilização de um resistor entre a bateria e o motor (R1), entre o transistor e a placa de cobre (R2) e entre o transistor e a chave interruptora (R3), como observado no diagrama.

(1) Transistores
Figura 6: Esquema de um transistor.
Quando não existe água na placa de cobre para fechar o circuito, nenhuma tensão é aplicada à base do transistor. Nessas condições, ele se comporta como um resistor de resistência praticamente infinita, ou seja, não conduz corrente elétrica. Portanto, não haverá corrente entre o coletor e o emissor, mesmo havendo uma tensão aplicada entre eles.
A ocorrência de chuva permite a aplicação da mesma tensão da bateria à base do transistor, o que fará uma pequena corrente fluir entre base e emissor. Devido às características próprias do transistor, a presença desta corrente, mesmo pequena, provocará uma brusca redução na resistência interna entre coletor e emissor. Nessas condições, o transistor passa a se comportar como um resistor de resistência praticamente nula, ou seja, não funcionará como obstáculo à corrente elétrica.
Referência:http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2005/08/20/computadores-viii-valvulas-e-transistores/

LINKS INTERESSANTES:
Código de Cores de Resistores:

terça-feira, 24 de maio de 2011

RELATÓRIO SEMANAL - DATA: 12/05/11 A 18/05/11 - SEMANA Nº 11

1. Ações previstas para semana
Pesquisar a respeito do mecanismo de abertura da janela composto por diafragma e portas lógicas, a fim de verificar a sua viabilidade. Além disso, estudar o funcionamento do pushbutton no drive de CD.
2. Ações realizadas na semana
Como previsto, foi desenvolvida a pesquisa sobre o mecanismo, mas ainda são necessárias informações para tornar o sistema mais claro e compreensível. O pushbutton também foi estudado e chegamos à conclusão que ele funciona como uma chave abre-fecha.
3. Pendências principais
Definir se o mecanismo do diafragma será realmente adotado como sensor e iniciar o seu desenvolvimento.
4. Dificuldades principais
Entender o funcionamento e a montagem, na prática, do circuito com portas lógicas.  
5. Materiais práticos a providenciar
Como o mecanismo ainda está sendo estudado, não será necessário nenhum material prático.
6. Materiais teóricos a providenciar
Informações a respeito do funcionamento de um diafragma e de portas lógicas. Além disso, é preciso entender como esse sistema será conectado ao sistema de abertura e fechamento do drive de CD.
7. Contatos a realizar
Será necessário buscar ajuda junto a profissionais da área de eletrônica para a montagem do circuito pretendido.
8. Ideias a explorar
Devemos explorar o funcionamento do mecanismo proposto para o sensor e a adaptação do mesmo ao drive de CD.
9. Encaminhamentos para a semana seguinte
A próxima semana deverá ser dedicada a mais pesquisas sobre o mecanismo ou à pesquisa de novas ideias. Também é desejável um contato com profissionais da área de eletrônica.
10. Encaminhamentos para as semanas posteriores
Se concluirmos que o sensor com diafragma atende às nossas demandas, daremos início à sua construção junto a profissionais que possam nos auxiliar.
11. Cumprimento do cronograma
As atividades do grupo estão adequadas à etapa de “desenvolvimentos dos projetos” prevista no cronograma.
12. Avaliação do andamento do projeto
O trabalho está em um bom ritmo de desenvolvimento, ainda que sua construção física esteja um pouco prejudicada devido à dificuldade em definir um mecanismo viável que funcione como sensor de chuva.
13. Observações e comentários gerais